Etiquetas

adidas (6) aldo (7) amarelos (1) aniversário (1) ano novo (2) aplicações (1) aprendam comigo (2) ar livre (16) artemis (4) avena (1) avon (1) batom (2) berska (36) bijou brigitte (5) bla bla bla (6) blogosfera (19) bonté (1) bordô (1) C&A (1) cabelo (1) calçado guimarães (22) calzedonia (1) casio (1) casting creme gloss (1) closet details (5) colgate (1) compras (34) coques (1) cosmética e beleza (12) decorações (2) dicas (14) dove (1) el corte inglés (1) em voga (4) equivalenza (1) espreitando sites (2) essence (1) estilo de rua (17) factos sobre mim (5) fapex (1) Feira do Mirtilo (1) festivais (6) flowers (1) franjas (1) friends (1) galénic (1) garnier (2) H&M (17) HTL (1) inquéritos (1) inspiration (12) intemporal (1) inverno (21) johnson´s (1) kiko (3) lefties (1) lenços (1) lifestyle (1) loreal (6) make up (4) makeup revolution (1) mango (4) marcas (1) marés vivas (2) maripaz (1) material escolar (1) meus look´s (15) midi (1) momentos caseiros (1) mother´s day (1) natal (9) natura (2) neutrogena (1) nikon (1) nivea (1) novidades (3) opticenter (2) Outfit´s (92) outono (20) padrões (1) parfois (57) party (1) Páscoa (1) passeios (8) pollié (1) prendas (1) primark (11) primavera (21) publicité (1) pull and bear (37) puma (5) receitas (1) resumo (13) rowenta (1) s-fera (5) SD&N (6) seaside (1) sfera (1) shokers (1) shop one (4) sinclô (5) skino (1) sneakers (1) springfield (9) stradivarius (30) sunset (2) Super Bock Super Rock (1) swatch (1) tags (1) tiger (1) toga (1) traje académico (1) tresemmé (1) vans (1) verão (51) vetements (1) vídeos (10) wishlist (4) worten (1) yves rocher (2) zara (44)

segunda-feira, 21 de março de 2016

9 truques para evitar comprar o que não precisa

fashion, clothes, and shoes image

1. "Regra dos 45 minutos. Bridget Casey, bloguer financeira, sugere a "regra dos 45 minutos", que diz que não precisa de um produto que não vá usar, pelo menos, 45 minutos por dia."

De facto, se pensarmos bem, tudo aquilo que é tido como um mero capricho grande parte das vezes é posto de parte ou então usamos essa coisa pouquíssimas vezes para dizermos que usamos e que ficamos bem com a nossa consciência.

2. "Se pensa comprar alguma peça de roupa cara, abra primeiro o seu guarda-fatos. Se calhar existe uma grande probabilidade de não precisar dessa peça."

Exato! Bem vindo ao mundo das mulheres! Podemos ter tudo, mas para nós nunca vai ser nada comparado com aquilo com que sonhamos. E quando compramos algo com que sempre sonhámos, isso passa logo para segundo plano e a loucura volta a surgir com outra peça qualquer. Acho que toda a mulher tem essa necessidade de sentir esta energia!

3. "Espera quatro dias. Controle o seu impulso. No primeiro dia, é bem possível que veja esse produto em todo o lado. No segundo dia até já pode sentir alguma retração. O terceiro dia serve para substituir o desejo por algo produtivo. O quarto dia serve para se esquecer e seguir em frente."

Isto só prova como podemos moldar a nossa correria frenética em direção às lojas. E, de facto, é possível! Com um chá, uma meditação ou algo menos rebuscado como simplesmente vaguear pelos sites e tentar encontrar defeitos nas peças. É importante distinguir moda de gosto pessoal, já nem falando de necessidade, porque toda a mulher já comprou algo sem necessidade. E quando percebermos que aquilo que é montra em todas as lojas não se enquadra connosco, então o impulso está mais que controlado.

4. "Escreva uma lista de tudo o que possui e sinta-se feliz. Isto vai dar-lhe a sensação de que tem muita coisa e que realmente não precisa de mais nada. A gratidão vai ajudar a mudar a sua mente em relação a isto."

Acho esta uma excelente dica! Nenhuma mulher tem a perfeita noção do que paira por todos os recantos do quarto, porque todas já chegámos tarde a casa, já tivémos dias super cansativos, e enfim, ficou tudo espalhado! Há cantos que guardam peças escondidas e cada peça tem sempre uma história.

5. "Invista nos produtos melhores. Pode controlar o seu impulso comprando um produto de uma marca mais cara em vez daquele que tanto deseja. Porquê? Porque vai estar a comprar um de melhor qualidade e vai sempre lembrar-se do preço que pagou por ele. Da próxima irá pensar duas vezes."

Não acho a melhor dica, porque independentemente do que custe, se gastámos dinheiro numa peça que não queríamos e podíamos ter gasto menos por algo que gostássemos mais, porque não? A verdade é que algo a preço superior e com melhor qualidade é mais valorizado e muitas das vezes tem um lugar especial no armário, mas isso já terá a ver com o facto da pessoa se convencer que essa peça, afinal, é realmente mais interessante do que a pretendida inicialmente.

6. "Caia na realidade ao fazer umas contas rápidas. Por exemplo, quer comprar um telemóvel que custa o valor exato que tem na sua poupança. Agora, faça as contas ao tempo que demorou para juntar essa quantia. Esta conta vai ajudar a não tomar más decisões."

Sem dúvida! Quando temos um investimento em mente é importante que o ponhamos à frente de qualquer peça de roupa, sou apologista dessa ideia. Roupas há muitas, mas se calhar uma Canon ou um iPhone com determinadas características nem sempre existem ao nosso alcance.

7. "Três perguntas antes de comprar: 1) Quando vai usar? 2) Em que ocasião vai usar? 3) O que vai substituir? Se tiver boas respostas, então siga em frente."

E ainda perguntaria "com que peças irei juntar a essa?". Acho importante pensar com quê que vai condizer, seja em termos de textura, corte ou cores. É algo que faço quase como ritual e admito que às vezes custa lembrar-me de todas as peças que fiquem bem, mas se pelo menos três assentarem perfeitamente, acho que é motivo para comprar, porque demonstra versatilidade e além disso não exclui outras peças, mas sim dá oportunidade a outras peças que temos para se completarem à que comprámos. Quando chegamos a casa percebemos que há muito mais peças a ficarem bem e isto só prova que temos sempre mais coisas do que pensamos e que devemos estar gratas, como descreve o ponto quatro. A pergunta de "o que vai substituir?" acho que só pelo facto de ela ser feita já nem deveríamos levar a peça. Custa-me pensar na ideia de que umas peças substituem outras, até porque existem costureiras e acho importante reaproveitar, a não ser que esteja completamente fora de moda e de bom gosto, mas se assim for então é hora de sair do armário.

8. "Não compre quando está triste. As pessoas tendem a fazer compras consoante o seu estado de espírito. O melhor é evitar ir às compras quando se sente em baixo."

Concordo. Estamos frágeis e de certa forma fazemo-nos de vítimas, estando ou não acompanhadas nas compras. A verdade é que nos subornamos a nós próprias e achamos que merecemos aquela peça pelo simples facto de termos chorado na noite anterior, sem pensar em custos!

9. "Imagine o quanto vai mudar a sua vida. Vai gastar o seu dinheiro numa sessão de mergulho, de paraquedismo ou vai ter aulas de inglês? Há experiências que mudam a nossa vida. Será uma grande mudança? Se sim, siga em frente."

É fundamental pensar no impacto daquela peça, claro! Já foi falado um pouco no ponto seis, mas realmente eu volto a sublinhar que há experiências que não podemos deixar escapar e que têm mais essência do que uma simples peça de roupa. Deixem a roupa para os intervalos dos vossos grandes investimentos, nunca considerando a roupa esse grande investimento. Podem comprar poucas peças, mas se as que têm espelham exatamente aquilo que vocês são, então é o que basta.

Delas

2 comentários:

  1. Belas dicas! Sigo algumas, nao sou grande compradora - mas tudo o que compro adoro e uso até à exaustão!
    Ritissima Blog>> Participa no Giveaway a decorrer no Blog>

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada!
      Acho isso ótimo, só prova que as coisas que temos fazem jus à pessoa que somos :)

      Beijinho*

      Eliminar